terça-feira, 15 de março de 2011

Egrégora morta, "deuses falidos"

Egrégora morta, "deuses falidos"

http://1.bp.blogspot.com/_uqRLzBLiAF0/TEuJXxiEdCI/AAAAAAAAAlk/IMnSVc74p2E/s1600/Afrodite+venus+e+ares.jpg


Gente, hoje estive pensando em um assunto que a tempos venho querendo debater aqui nas minhas listas, mas não sei por onde começar e se vão entender o que estou querendo dizer, por tanto deixo claro desde já que não estou afirmando nada, estou levantando uma questão, onde estou totalmente aberta a ouvir.

Judaísmo (em hebraico יהדות, transl. Yahadút) é o nome dado à religião do povo judeu, a mais antiga das três principais religiões monoteístas (as outras duas são o cristianismo e o islamismo).

O cristianismo se iniciou como uma seita judaica [7] [8] e, como tal, da mesma maneira que o próprio judaísmo ou o islamismo, é classificada como uma religião abraâmica (ver também judaico-cristão).[9][10][11] Após se originar no Mediterrâneo Oriental, rapidamente se expandiu em abrangência e influência, ao longo de poucas décadas; no século IV já havia se tornado a religião dominante no Império Romano. Durante a Idade Média a maior parte da Europa foi cristianizada, e os cristãos também seguiram sendo uma significante minoria religiosa no Oriente Médio, Norte da África e em partes da Índia. [12] Depois da Era das Descobertas, através de trabalho missionário e da colonização, o cristianismo se espalhou para as Américas e pelo resto do mundo.

O cristianismo desempenhou um papel de destaque na formação da civilização ocidental pelo menos desde o século IV. [13] A primeira nação a adotar o cristianismo como religião oficial foi a Armênia, fundando a Igreja Ortodoxa Armênia, em 301.

No início do século XXI o cristianismo conta com entre 1,5 bilhão [14][15] e 2,1 bilhões de seguidores,[16] representando cerca de um quarto a um terço da população mundial, e é uma das maiores religiões do mundo.[17] O cristianismo também é a religião de Estado de diversos países. [18]

Fonte : Wikipédia, a enciclopédia livre.

Certo, agora imaginem a força dessa egrégora cristã nos dias atuais, em relação aos deuses pagãos... Acredito que outrora os deuses pagãos tiveram seu apogeu, aonde seus cultos e sacerdotes promoviam rituais regados de muita orgia, sacrifícios humanos, de animais , tudo não pela vontade dos deuses , mas para satisfazer seus propósitos, é claro que assim como hoje em dia sempre tinham aqueles sacerdotes ( sacerdotisas ) que vinham com aquela velha ladainha de que sacrificar um bebe por exemplo satisfaria aos deuses e os acalmaria, sacerdotes essas manipuladores que em nada estavam servindo aos deuses e sim aos seus propósitos mesquinhos como temos visto muitos até hoje.

Penso que com o surgimento do cristianismo muita coisa mudou, a mensagem de paz e amor foi absorvida por muitos, embora é claro mesmo dentro do cristianismo tivemos sacerdotes também movidos pelos seus propósitos matando em nome de Deus e Jesus, sabemos que não foi essa a mensagem deixada por ele, mas muitos morreram sim em nome Jesus nas fogueiras da inquisição.

Agora o fato é que hoje em dia vejo neo-pagãos tentando ressuscitar os antigos deuses, com novos cultos, mas de qualquer forma até que essa egrégora tome forma e ganhe força novamente ainda falta muito, e não vai ser com essas pessoas que tenho visto agora, onde alguns se autoproclamam Arquedruidas, Sumo sacerdotes e por ai vai, visando arrancar lucro...

Agora pensem que força tem vamos dar um exemplo aqui um adorador de Thor nos dias atuais em relação a egrégora Cristã?

Um moça que veio a minha casa disse que tem orado aos deuses em especial Hécate, mas que nunca obteve respostas da mesma, já quando faz uma oferenda a Oxum é logo respondida, ainda disse que a egrégora wicca nada mais era que puro modismo sem força. Não vou negar que eu particularmente quando peço algo aos Gênios da Cabalá sou respondida muito mais rápido do que quando trabalho com alguns rituais da wicca.

Ficamos um bom tempo debatendo sobre esse assunto.

Quando trabalho com Afrodite eu a trabalho dentro de mim como Arquétipo o mesmo com Baco, tenho respostas as vezes por meio de sonhos, meus rituais dão certo com eles, talvez isso também vá da minha fé...

Conheço pessoas que são sacerdotes de deuses Egípcios e tem seus rituais e preces respondidas já outros não, já outros trabalham com a egrégora do Candomblé, mas aqui não vamos negar que essa é uma egrégora muito forte não extinta, como no caso de alguns deuses Babilônios por exemplo. Se eu evocar uma deidade Celta é o mesmo que falar com uma pedra, já se falo com o gênio da cabala sou imediatamente respondida.

Não sei se deu para entenderem onde quero chegar, mas gostaria muito da opinião de vocês sobre essa questão da força de uma egrégora e até que ponto os seus deuses os respondem. Volto a dizer que vejo os deuses como Arquétipos de nossas almas e quando não os cultuamos eles deixam de viver e perdem sua força.

E vocês o que pensam sobre esse assunto?


Sarah

Inté mais

PAX DEORUM


Lista Santa Sarah Kali

http://br.groups.yahoo.com/group/santasarahkali/

Companhia dos Gatos yahoo lista
http://br.groups.yahoo.com/group/companhiadosgatos/?yguid=118036214
Templo de Afrodite:

http://br.groups.yahoo.com/group/templodeafrodite/?yguid=118036214

Tudo que desejares a mim eu vos desejo em DOBRO!REDOBRADO! E TRIPLICADO! )0(

3 comentários:

  1. Resposta dada pelo participante Luqiam do Templo de Afrodite

    De: R.Miranda[Luqiam]

    Para: templodeafrodite@yahoogrupos.com.br
    Enviadas: Terça-feira, 15 de Março de 2011 21:24:06
    Assunto: Re: [templodeafrodite] Egrégora morta, "deuses falidos"



    Que assunto legal de abordar Sarah.

    Este tópico vai mexer com muita coisa e vai dar pano p manga (rsrsrsrs). Bem, como vc pediu a opinião dos membros, vou dar a minha:

    A egrégora se forma com uma prática constante de algo, seja um rito, oração, sacrifícios etc. Claro e é inegável que o Cristianismo, Judaísmo e Islamismo possuem uma egrégora FDP, mas porque? Por que são milhões de praticastes assíduos em comunhão com um mesmo propósito: O monoteísmo, que, particularmente considero "disfarçado", pois levando em conta na prática são todos politeístas ( adoram várias divindades), apenas com uma em supremacia: O Deus; Adoração Cristã - Deus + Cristo+ Santos; Adoração Judaica - Deus + Anjos + Genios; Adoração Islã - Alá + Profetas. Então na prática acabam adorando várias divindades.

    ResponderExcluir
  2. Quanto a nosso "paganismo", eu vejo como um resgate de algumas crenças nativas e cerimoniais mágicos pré-Cristão. Os Deuses são criação humana, a partícula da Energia Criadora de Tudo - que chamamos de Deus - está em toda criação. A questão da diversidade divina parte muito mais por afinidade, pois se vc for fazer um estudo comparativo de todas as divindades pré-cristãs, observará que são idênticas em seus arquétipos, só muda o nome.

    Por esta questão de afinidade é que muitos desenvolve uma fé em um e outros não. E com esse "desencontro" de fé's é que se torna impossível desenvolver uma egrégora forte. Exemplo: Imagine vc se todos no planeta que não fossem "monoteístas" resolvessem adorar Afrodite em busca de favores amorosos, é claro que seriam respondidos! O interessante é que pela pluralidade de cultura isso não acontece, a egrégora divina do "amor" fica divida entre os nomes : Afrodite, Freya, Oxum, Hathor, Pathyamama, etc.

    ResponderExcluir
  3. Levando em conta esses fatores, é por isso que nossa egrégora pagã é tão fraca comparada as grandes religiões contemporâneas. Lembrando que isso não é desmerecimento à fé de ninguém e nem sua "pequena" egrégora. Por que pequena? Porque se Todos os pagãos que se dizem praticante hoje em dia, tivessem o hábito de celebrar e orar para seus Deuses, com certeza se formaria uma egrégora forte, mas infelizmente para a maioria é "moda" se dizer pagão e nem conhecem como os Deuses sobrevivem. Nossa lembrança e prática é que mantém os Deuses vivos, quando nos esquecemos deles eles morrem! Sempre foi assim e sempre será.

    Quanto a Wicca, apesar de respeitar suas crenças e filosofia, acredito com contribuiu muito para esta egrégora pagã frágil, pois ela mesma prega a pluralidade, evocando em seus rituais vários deuses e muitas vezes até sem propósito. Olhando energeticamente para isso e até psicológica mente, este ato não gerará nenhuma egrégora, pois serão várias pessoas com pensamentos e visualização diferentes. Como pode ser formado uma egrégora desta maneira? Se todos devem estar em comunhão com um mesmo pensamento e visualização? Eu acho pouco provável.

    São por estas discrepâncias que considero que nosso paganismo não vai além do que temos hoje; enquanto outras vertentes religiosas estão crescendo.

    Observe, por que nos cultos africanos a magia geralmente funciona? Porque existe um egrégora forte, todos envolvidos estão comungando com um mesmo pensamento e fé. Agora, imagine se num Ipeté para Oxum, alguns resolvessem orar ou mentalizar Afrodite? Com certeza esta egrégora iria ser quebrada.

    É por isso que muitos pagãos hoje que percorrem uma senda solitária, acabam se saindo muito melhor do que os que praticam em grupos, e essa vivencia já é observada por muitos, que acabam escolhendo servir aos seus Deuses com individualidade. Então amiga, que cada um crie a sua egrégora (rsrsrs).

    Usando de licença poética: "Antes só na própria egrégora, do que mal "egregorado"" (rsrsrsrsrs)

    Blog do Luqiam visitem

    http://sacroegito.blogspot.com/

    ResponderExcluir

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.