quinta-feira, 21 de abril de 2011

Religião ou Espiritualidade

Religião ou Espiritualidade
http://1.bp.blogspot.com/-k6jpPiqkJaU/TVax3LQ7iMI/AAAAAAAABRA/YoZ-ctRcwrk/s640/espiritualidade-atraente.jpg

Há centenas de religiões, cada uma se proclamando portadora da verdade e desqualificando as outras.

A espiritualidade é apenas uma, em exercício permanente e sem forma única.

A religião possui templos para louvores e adorações.
O templo da espiritualidade é o ser, o mundo, o universo.

A religião é para os que dormem.
A espiritualidade é para os que despertam.

A religião é para aqueles que necessitam de um código externo e precisam ser guiados.
A espiritualidade é para os que ouvem e praticam o embrião da consciência, a voz interior.

A religião é um conjunto de regras e dogmas, não admite questionamentos.
A espiritualidade te leva à reflexão, a raciocinar sobre tudo, a questionar tudo.

A religião ameaça, amedronta, impõe e cobra.
A espiritualidade procura, desenvolve, liga causas e conseqüência, serenamente.

A religião aponta pecados e declara culpas.
A espiritualidade aponta a ignorância e toma o sofrimento como ensinamento.

A religião reprime, condena e acusa.
A espiritualidade transcende, compreende e esclarece.

A religião inventa.
A espiritualidade descobre.

A religião determina formas.
A espiritualidade desenvolve conteúdos.

A religião não indaga, nem questiona.
A espiritualidade duvida, experimenta, observa e procura absorver..

A religião é crença.
A espiritualidade é busca.

A religião é humana, é uma organização com regras.
A espiritualidade é ligação e não tem regras.

A religião divide, secciona e discrimina.
A espiritualidade une, respeita e abraça.

A religião lhe busca para que acredite.
A espiritualidade, você precisa buscá-la.

A religião necessita do (e determina o que é) sagrado.
A espiritualidade busca o sagrado, em tudo.

A religião se alimenta do medo e da ignorância.
A espiritualidade se alimenta na busca e no desenvolvimento da consciência.

A religião se ocupa com fazer.
A espiritualidade se ocupa com ser.

A religião ensina a evitar o mal por medo do castigo e fazer o bem por interesse na recompensa.
A espiritualidade ensina que o plantio é livre, mas a colheita é obrigatória.

A religião é adoração e temor.
A espiritualidade é reflexão e amor.

A religião tortura o presente com os valores do passado, ameaçando com castigos no futuro.
A espiritualidade vive o presente, levando em conta as lições do passado, fazendo o plantio do futuro.

A religião condena e encarcera a natureza.
A espiritualidade desenvolve a consciência para tratar com a natureza.

A religião manda crer na vida eterna.
A espiritualidade nos permite viver a eternidade da vida.

A religião promete o encontro com Deus depois da morte.
A espiritualidade busca o encontro com Deus dentro de nós mesmos, a cada momento.

A religião determina e inquieta.
A espiritualidade desabrocha e aquieta.

Religião é tirania espiritual.
Espiritualidade é consciência existencial.
(Autor Desconhecido)


O que você esta buscando em sua vida ?
Dormir ou acordar ?

Reflita!

quarta-feira, 20 de abril de 2011

NÃO COMER CARNE APENAS NA SEXTA SANTA É COISA DE IDIOTA

NÃO COMER CARNE APENAS NA SEXTA SANTA É COISA DE IDIOTA

http://blog.temperodavida.com.br/up/t/te/blog.temperodavida.com.br/img/C__pia_de_cute_kid_eating_meat_steak_photo_1.jpg


E ignorante, claro, além de hipócrita. Mas fico com a idiotice, minha opção favorita, pois de certa forma soma ignorância e hipocrisia, além de garantir uma burrice extrema inalienável. Mas, claro, não é um desabafo dotado da mais pura falta de respeito. Ao contrário! Falo aqui, antes e acima de tudo, em favor da tradição cristã. Duvidam? Vamoquevamo!

A tradição católica não diz respeito à Semana Santa ou, mais ainda, apenas à quinta ou sexta-feira, mas sim a TODA A QUARESMA, ou seja, aos QUARENTA DIAS QUE ANTECEDEM A PÁSCOA. Não adianta, portanto, trocar seu bifinho por peixe em um ou dois dias, mas manter toda a esbórnia nos outros 38 dias. Você, amigo ou amiga, é um idiota. É como que, para não pegar DSTs, deixasse para colocar camisinha apenas nos três segundos finais de uma transa (desculpem a analogia, foi a que veio mais rápido).

Isso de não comer carne é apenas UMA das renúncias e, diga-se de passo, a mais simples. O catolicismo impõe jejuns, abstemia alcoólica total, extrema sobriedade e um sem-número de penitências. Religião é isso, amiguinhos: um pacote completo fechado. Por essas e outras, não sou de qualquer crença. Mas, quem é, que aceite por completo, ou então não adianta dar "migué" e ficar sem carninha só um dia para fazer de conta que é do clube. Isso, com todo respeito (ou quase isso), é idiotice.

"Ah, mas o mundo mudou". Sim, claro. Religiões, porém, não mudam. É a diferença entre secularidade e instituições milenares. Até hoje há gente que se diga católica apostando na "alegoria" de Adão e Eva, quando na verdade o Éden é o PILAR BÁSICO de todo o cristianismo (resumindo: o Pecado Original é aquele do qual Cristo libertou parcela da humanidade - sem ele, não haveria um Salvador). Outra curiosidade - não sei se apenas brasileira - é a existência do "não-praticante".

E ainda nisso de "o mundo mudou", vale lembrar que apenas a parte chata some com o tempo. As duas pontas da Quaresma continuam vivíssimas para o povo, inclusive os não-adeptos do cristianismo: Carnaval e Páscoa. A festa pagã romana (no cristianismo, usada justamente para resguardá-los quanto aos 40 dias de penitências) e a comemoração da ressurreição do Messias cristão (também uma libertação desses 40 dias de sufoco) prosseguem com a bola toda (nos dias de hoje, em forma de esbórnia sem fim e distribuição de chocolates, respectivamente).

Daí que algum incauto resolve, deliberada ou inadvertidamente, comer um pouco de carne vermelha (curiosidade: podem comer peixe, camarão etc.) justo no "dia proibido". Por incrível que pareça, há os que passam REPRIMENDAS dizendo que é "pecado". E praticamente todos os que passam sermões, a grande minoria se resguarda durante os 40 dias. Deixam para comer bacalhauzinho zoado só na sexta-feira e olhe lá, considerando desaforo a desobediência a seus ritos.

Que ritos? Fizeram a maior esculhambação com a Quaresma! Transformaram QUARENTA DIAS DE PENITÊNCIA em um almocinho de bacalhau ou camarão ou qualquer outra coisa. Sim, é bem chato passar esse tempo todo sem beber, e sofrendo, e vez por outra jejuando. Quem não gosta, que largue a religião (eu não tenho, entre outras coisas, por causa disso). Mas, se quer ter, siga à risca e não invente moda. Ou então, alguém pode muito bem comer uma chuleta sangrenta nesta sexta-feira e dizer que é igualmente cristão.

Afinal, qual a diferença pra quem ficou 39 dias na bagunça?

Revisão: Hellen Guaresch